Cipreste na Água

R$10,00

“Cipreste na água”, PDF para impressão, tamanho A3.

Descrição

O Cipreste na Água original é uma pintura sobre papel de 2013.

Aquarela e tinta acrílica, 15 x 21 cm.

Produto digital – PDF para impressão de reproduções – tamanho A3.

O Cipreste na Água

O cipreste é a mais conífera de todas as coníferas. Esteve nas pinturas de Van Gogh e nos bigodes de Salvador Dali. Logo eu não poderia deixar de tentar afogá-lo no lago de minhas próprias águas.  Como se não bastasse, “símbolo da solidão”, o cipreste ainda o pude afogar num lago. Mas essas são leituras opcionais.

Aproveite para dar uma olhada nos livros Auto Publicação do Passarinho Colorido.

Edite sua arte no Scribus.

O cipreste italiano no Wikipedia:

O cipreste-italiano (Cupressus sempervirens L.; Cupressaceae), também designado como cedro-bastardo, cipreste-comum, cipreste-de-itália, cipreste-do-mediterrâneo, cipreste-mediterrânico e cipreste-piramidal, é uma árvore nativa do Sul da Europa (Mediterrâneo oriental, Sudeste da Grécia – especialmente Creta e Rodes) e do Sudoeste da Ásia (Nordeste da Líbia, Sul da Turquia, Chipre, Síria ocidental e Líbano – além de uma população disjunta no Irão), que chega a medir 45 m, com copa estreita e esguia, ramos nivelados, raminhos pendulosos e ramificações terminais lineares. É uma espécie de grande longevidade e de folha persistente (como se depreende do seu nome científico sempervirens, que quer dizer «sempre verde») – sabe-se que alguns chegam a viver mais de um milénio.

Tem sido utilizado como símbolo recorrente da tristeza, da melancolia e da morte ou vida eterna. Não obstante, mantém-se como uma árvore particularmente apreciada para fins decorativos. A sua madeira aromática já era utilizada pelos egípcios, na construção de sarcófagos. Os gregos apreciavam a homogeneidade da madeira para fabricar móveis. Na Idade Média era utilizado para fazer arcas.

PS: Não posso deixar de lembrar que nos idos anos 90 fiz um tratamento homeopático contra depressão utilizando um remédio cuja origem era a Tuia – o “pinheiro de cemitério”.

Realmente não garanto ter funcionado.

Era um remedinho bastante gótico.

 

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Apenas clientes logados que compraram este produto podem deixar uma avaliação.